Postagens

A SENSUALIDADE DA POMBA-GIRA : ANÁLISE DO MOVIMENTO EM RITUAIS UMBANDISTAS

Imagem
A SENSUALIDADE DA POMBA-GIRA : ANÁLISE DO MOVIMENTO EM RITUAIS UMBANDISTAS
Análise do Movimento em Rituais Umbandistas Pomba-giras Segundo Negrão (1996), “se o Exu é em parte animalesco, a Pomba-Gira é a estereotipia da prostituta ou de mulheres de conduta moral condenável” (Negrão, 1996, p. 223). Talvez essa conotação moral negativa derive da circunstância de uma atitude social bastante crítica da sensualidade explícita, que efetivamente caracteriza o movimento corporal dessa categoria. Entre as estudadas, as pomba-giras são a categoria de espíritos que mais se mostra no corpo de forma dançante e transparece prazer nesse dançar. Em seus rostos, há constantemente uma expressão de alegria e divertimento, sorriem e dão gargalhadas enquanto dançam. Elas dão gargalhadas, movendo o tronco e a cabeça para trás. Flexionam os joelhos um pouco para possibilitar o movimento do tronco, com as mãos apoiadas na altura dos ossos pélvicos. Fumam de maneira a deixar, algumas vezes, a mão que segura o c…

A AÇÃO DAS POMBAGIRAS,EXU E SUA PARTE FEMININA - O PODER SENSUAL E DE CONQUISTA DA MULHER

Imagem
Pombas Gira atuam: 
• Nas descargas pa­ra neutralizar cor­rentes de elementa­res/elementais vam­pi­rizantes, bem conhecidos como sú­cu­bus e íncubos, que atuam negati­va­men­te, por meio do sexo, fazendo de suas ví­timas verdadeiros escravos das distor­ções sensuais.

• Cortando trabalhos de magia sexual negativa e as ditas “amarrações”, pois ninguém deve se ligar a ninguém a força. Isto é considerado pelos tribu­na­is do astral como desvio de carma e as sanções para aqueles que realizam tais trabalhos são as mais sérias possíveis.

• Cortando trabalhos de magia negra, pois não é permitido pela Lei Divina que as pessoas ou espíritos possam fazer o que bem entenderem, ainda mais ferindo o Livre Arbítrio alheio.

• Neutralizando correntes e trabalhos feitos para desmanchar casamentos.

• Trabalham incansavelmente no combate as hostes infernais, quando estas procuram atingir injustamente quem não merece.

• Trabalham no combate das vicia­ções que escravizam os médiuns, protegendo-os das investidas …