AS 6 PRINCIPAIS DEUSAS SEGUNDO A MITOLOGIA GREGA


03_02_blog

MITOLOGIA GREGA E AS DEUSAS

Através das histórias de vida, das experiências, das parábolas e dos mitos; nós nos conectamos com o outro e podemos crescer, aprender e nos relacionarmos com esses exemplos que se tornam fonte de recursos e de transformação da nossa própria vida.
Por isso, decidi nesse mês de Março, onde comemoramos o DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES, trazer um pouco da mitologia grega, mais especificamente, das DEUSAS GREGAS, com o objetivo de contribuir com a amplitude de autoconhecimento, de  reflexão, transformação, de mudanças, de conexão com questões que fazem a diferença em nossas vidas.
Jean Shinoda Bolen, autor e psiquiatra, em seu livro As Deusas e a Mulher, relatou que ouviu centenas de histórias pessoal de mulheres que procuram um psiquiatra por algumas situações, como quando sentem-se desmoralizadas, ou  quando sua maneira de agir e se comportar não condiz com o que os outros esperam, ou ainda, quando se dão conta de que precisam tomar decisões, de mudar.
“… parece-me que elas procuram a ajuda de um terapeuta para aprenderem a ser melhores protagonistas ou heroínas nas histórias de suas próprias vidas. Para isso as mulheres precisam fazer escolhas conscientes, que irão dar rumo às suas vidas. Exatamente porque elas costumam não ter consciência dos poderosos efeitos  que os estereótipos culturais exercem sobre elas, as mulheres podem também não ter consciência de poderosas forças que atuam no seu íntimo. Essas forças influenciam o que elas fazem e o modo como elas se sentem.”
Jean Shinoda Bolen em As Deusas e a Mulher
Logo, as questões culturais, os esterótipos, as crenças limitantes, acabam interferindo em seus comportamentos, pensamentos, escolhas, enfim… em sua vida como um todo.
“O conhecimento das deusas proporciona às mulheres um meio de conhecerem a si próprias, conhecerem seus relacionamentos com os homens, e mulheres, com seus pais, namorados e filhos. Esses padrões de deusa oferecem também insight para aquilo que é motivador e até mesmo compulsivo, frustrante ou satisfatório para algumas mulheres e não para outras.”
Jean Shinoda Bolen em As Deusas e a Mulher
Fazendo uma associação entre a mitologia grega, a psicologia junguiana e as leis sistêmicas, é possível que a mulher se conecte com sua essencia e se torne plena, com liberdade e amor.
Durante os próximos dias estarei trazendo a correlação entre a mitologia grega das Deusas, os arquétipo de Jung e as Mulheres; através das 6 Deusas mais conhecidas:
AFRODITE, ÁRTEMIS, ATENA, DÉMETER, PERSÉFONEHERA.
Renata Reis
Psicologa e Terapeuta Familiar Sistemica
15_03

As 6 principais Deusas – Parte 1


“As deusas gregas são imagens de mulheres que viveram na imaginação humana por mais de três mil anos.
As deusas são modelos ou representações daquilo que as mulheres se assemelham.
Na Grécia antiga as mulheres sabiam que sua vocação ou profissão as colocava sob o domínio de uma determinada Deusa a quem elas veneravam.
Todas as deusas são padrões potenciais na psique das mulheres.” Jean Shinoda Bolen
As principais características das 6 principais Deusas são:

A MULHER-ATENAS é regida pela deusa da sabedoria e da civilização; ela busca a realização profissional numa carreira, envolvendo-se com educação, cultura intelectual, justiça social e com política.

A MULHER-AFRODITE é regida pela deusa do amor, e está voltada principalmente para relacionamentos humanos, sexualidade, intriga, romance, beleza e inspiração das artes.

A MULHER-PERSÓFONE é regida pela deusa do mundo avernal; ela é mediunica e atraída pelo mundo espiritual, pelo oculto, pelas experiências místicas e visionárias , e pelas questões ligadas a morte.

A MULHER-ÁRTEMIS é regida pela deusa das selvas; ela é prática, atlética, aventureira; aprecia a cultura física, a solidão,  vida ao ar livre e os animais; dedica-se à proteção do meio ambiente , aos estilos de vida alternativos e às comunidades de mulheres.

A MULHER-DEMÉTER é regida pela deusa das colheitas; ela é uma verdadeira mãe-terra que gosta de estar grávida, de amamentar e de cuidar de crianças; está envolvida com todos os aspectos do nascimento e com os ciclos reprodutivos da mulher.

A MULHER-HERA é regida pela deusa dos céus; ela se ocupa do casamento, da convivência com o homem e, sempre que as mulheres são líderes ou governantes, de questões ligadas ao poder.”


As 6 principais Deusas – Parte 2


16_03Como curiosidade, trarei os arquétipos de cada Deusa a seguir, para isso, considero importante conceituarmos a palavra “arquétipo”, que é um termo utilizado por Jung, na psicologia Junguiana.
“Arquétipo é um conjunto de imagens psíquicas presentes no inconsciente coletivo que seria a parte mais profunda do inconsciente humano. Os arquétipos são herdados geneticamente dos ancestrais de um grupo de civilização, etnia ou povo. Os arquétipos não são memórias coesas e “palpáveis” no contexto ou definição clássica de memória, mas são o conjunto de informações inconscientes que motivam o ser humano a acreditar ou dar crédito a determinados tipos de comportamento. Os arquétipos correspondem ao conjunto de crenças e valores comportamentais básicos do ser humano. podem se manifestar nas crenças religiosas, mitológicas ou no comportamento inconsciente do indivíduo.”      Dicionário Informal
Os arquétipos de cada Deusa e o Caminho para o crescimento:
ATENAS –  Seu arquétipo é a mente lógica, governada mais pela razão do que pelo coração. O seu caminho para o crescimento se dá em 3 questões específicas:
  1. Voltar-se para seu interior: Uma frase que demonstra Atenas é “Minha cabeça está sempre funcionando.” Ela sempre está ativa e usando da razão, por isso, é imprescindível, que pare um pouco e olhe para dentro de si mesmo e amplie seu autoconhecimento.
  2. Recupera a criança: Já que para Atenas “Ser esperta a respeito de tudo” é algo bem marcante; ela acaba por deixar de ser criança para ser adulta muito precocemente, portanto, deixar espaço para sua criança interior agir, ou seja, se permitir ser cuidada, brincar, rir, chorar, ouvir os outros e aprender com as experiências dos mesmos.
  3. Descobrir a mãe: Entrar em contato com a energia da sua própria mãe é imprescindível, já que ela, foi criada somente pelo seu pai e não ter valorizado e honrado sua própria mãe.
AFRODITE  – Seu arquétipo é guiar e controlar o prazer do amor e da beleza, da sexualidade e da sensualidade.O seu caminho para o crescimento é levar a consciência sua característica predominante e se relacionar com ela de forma saudável, de modo que não se reprima e nem se frustre ao se envolver com os outros.
PERSÓFONE – Seu arquétipo refere-se a característica de ser compreensiva na ações dos outros, além de não tomar atitudes por si própria, e depender de outras pessoas. O seu caminho para o crescimento é responder e cuidar da sua própria vida.
ÁRTEMIS – Seu arquétipo é o espírito feminino independente, refere-se a possibilidade da mulher se relacionar com seus próprios objetivos e tomar suas próprias decisões. O seu caminho para o crescimento está diretamente relacionado com o fato dela ser receptiva, aberta para os relacionamentos amorosos, uma vez que sua característica marcante é a independência.
DEMÉTER – Seu arquétipo é o materno.O seu caminho para o crescimento, está profundamente ligado a sua dificuldade em dizer “não”, a ser generosa com tudo e todos, igualmente como uma boa mãe. Consequentemente, tem bloqueio em perceber seus pontos negativos e dar a oportunidade de mudar, de crescer e se desenvolver.
HERA – Seu arquétipo é o desejo de se tornar esposa, quando está sozinha sente-se incompleta.
O seu caminho para o crescimento, em virtude disso, seria pensar antes de se envolver amorosamente com alguém.

        Extraído de: Jennifer Barker Woolger e Roger J. Woolger em A Deusa Interior

Fonte:http://oamorquecura.com.br/as-6-principais-deusas

Postagens mais visitadas deste blog

O SIGNIFICADO DA DEUSA KALI NA MITOLOGIA HINDU

A SENSUALIDADE DA POMBA-GIRA : ANÁLISE DO MOVIMENTO EM RITUAIS UMBANDISTAS