SABERES ANCESTRAIS FEMININOS - ESPIRITUALIDADE ESSENCIAL FEMININA

Resultado de imagem para Saberes Ancestrais Sagrados Femininos – Espiritualidade Essencial Feminina

Saberes Ancestrais Sagrados Femininos – Espiritualidade Essencial Feminina 

ESPIRITUALIDADE FEMININA – O Sagrado Feminino é o Blog do Programa e Sistema de Autoconsciência e Autorealização Feminina: SHAKTI VIDYA.
Este Blog disponibiliza informações sofre a sabedoria do sagrado feminino; a feminilidade essencial sagrada; a sabedoria das grandes sacerdotisas ancenstrais.
Para se entender melhor, Shakti Vidya é a Sabedoria Iniciática Feminina, um sistema que compreende Círculos de Mulheres onde se desenvolvem práticas físicas, psíquicas e espirituais e muita reflexão sobre os grandes saberes  espirituais, psíquicos e físicos sobre que se relacionam ao despertar e realizações, conscientização feminina. Tais saberes nem sempre estão disponíveis em livros, cursos, sites e outras mídias. No caso do Shakti Vidya, por ser uma sabedoria iniciática e específica para mulheres, muitos destes conhecimentos foram escondidos, ocultados pelas grandes sacerdotisas, dos diversos sistemas perenes de autodespertar e autoempoderamento feminino por diversas razões já conhecidas ou não.
Desta forma, este blog tem a finalidade de informar e refletir sobre esses assuntos que envolvem direta e indiretamente o autodespertar da mulher, levando em conta o cuidado com o corpo e a mente, seu bem estar, saúde, relacionamentos, vocações e profissões, ou seja a vida, tudo o que corresponde a sua experiência neste mundo e, principalmente a percepção, os ensinamentos, a consciência que esta experiência lhe proporciona.
É necessário cultivar relações  harmoniosas,  uma percepção de mundo e de vida saudável, presente e com muito contentamento e receptividade, dedicando-se a  viver uma vida espiritual, sintonizada à consciência cósmica, universal. Porém, a vida espiritual não negligencia nenhum dos planos ou corpos de vida, ou seja, as dimensões e veículos de manifestação da consciência. Assim, para uma vida e consciência plenas devemos também e estar ao mesmo tempo em sintonia com a Terra e suas emanações, cuidando do nosso próprio corpo, personalidade, mente; os veículos da alma. Desta forma criamos um equilíbrio necessário para integrar as consciências e energias superiores e interiores e assim libertar-se das amarras e limitações impostas pelos nossos próprios condicionamentos mentais sutis e supra sutis. Condicionamentos que são alimentados continuadamente por uma cultura não só mundana, mas muitas vezes até mesmo religiosa e espiritual, dominadas, geralmente, por aqueles que, claro ou obscuramente, ganham muito mantendo a ignorância, as ilusões que causam e,ou fortalecem mais os apegos, as aversões e as indiferenças.
Por motivos que esclareceremos nas reflexões, grande parte do caminho e da experiência espiritual é diferente de ser para ser. Assim, os humanos como um ‘tipo’ de ser, humanos homens, os humanos mulheres (modelos projetivos de experiência e identificação biopsíquica diferente e neste caso, extremamente polarizada) tem diferenças suficientes para que se possa utilizar métodos personalizados de autodespertar e autorealização.
Aqui explicaremos porque que os diversos métodos mais popularizados também servem para as mulheres, mas não são tão eficientes para elas como são para um ser que experencia, nesta vida, uma humanidade masculina.
Outra reflexão importante é que tais métodos também estão relacionados a época, o grau de consciência e nível vibracional dos seres que irão praticá-los. Desta forma o que era um método seguro e eficiente há 4000,  3000 ou 2000 anos, pode não ser agora. Numa sociedade onde a vida, a forma de pensar das pessoas, ou ainda mais específico,  os ‘tipos’ de pessoas  manifestadas naquela época, estavam mais propensas e habilitadas para determinados métodos e técnicas de autodesperta que na atualidade, muitas vezes não são tão eficazes, e muitas vezes seguros. Assim como métodos que não eram muito seguros em épocas distantes, pelas experiências negativas, das quais as mulheres vivenciaram, hoje já podem ser realizados pelo nível maior de frequência que pode ser trabalhada.
Por isso este processo de autorealização feminina reintegra readaptando saberes e práticas passadas, porém prioriza os saberem e métodos que nos integra no presente e nos sintoniza com o ‘futuro’ da experiência feminina. Reintegramos a mulher e o feminino lunar, também reintegramos o que foi mais ocultado, a mulher e o feminino venusiano, a ‘Vênus’ humana pessoal, mas principalmente reconhecemos  a mulher e o feminino venusiano superior,  a  ‘Vênus’ espiritual ou universal e trancendendo ancorando um aspecto ainda mais poderoso, da qual falaremos logo neste blog.
Muitas coisas que são refletidas aqui fizeram e fazem parte de conhecimentos e práticas ocultadas por grandes sabias e sacerdotisas que protegeram nos seus círculos secretos de mulheres independentes ou ligados a sistemas de sabedoria perenes como o Shaman, denominado hoje xamanismo siberiano, chinês o Taoísmo, o tibetano, o Bon (anterior e influenciador do budismo esotérico e tântrico), do indiano (anterior ainda ao Tantra indiano – um pouco foi descrito no Gupta Vidya),  egípcio ou sumeriano que foi muito parecido com dos povos anteriores aos incas e astecas. Esses conhecimento eram muito antigos, pois pertenciam a uma civilização muito anterior a nossa, que findou há mais de 12000 anos e que acabou por usar negativamente, no final dela, tais conhecimentos. Assim como nossa civilização usa mal os conhecimentos científicos, não sendo eles por si só negativos. Naquela época os seres ‘conscientes’, a vida e até a terra eram extremamente diferentes, se tornando, assim como nós hoje com a tecnologia, vítimas de seus próprios saberes e poderes. Os seres mais evoluídos e conscientes desta civilização antiga, resolveram assim guardar esses grandes tesouros para que, somente quando a nossa civilização atual chegasse a um ponto de alto desenvolvimento material por um caminho extremamente oposto, ou seja externo, neste caso, o tecnológico pudessem, os seus, ou melhor, as suas gardiãs, abrissem as secretas Arcas desse Tesouro.
Fonte:http://www.espiritualidadefeminina.com.br/espiritualidade-essencial-feminina-autoconsciencia-feminina-autorealiacao-autodesenvolviemento-despertar-libertacao-iluminacao-mulher-sagrado-feminino/

Postagens mais visitadas deste blog

AS 6 PRINCIPAIS DEUSAS SEGUNDO A MITOLOGIA GREGA

A SENSUALIDADE DA POMBA-GIRA : ANÁLISE DO MOVIMENTO EM RITUAIS UMBANDISTAS

O SIGNIFICADO DA DEUSA KALI NA MITOLOGIA HINDU